19 de novembro de 2004

Dejá vu: Mais uma vez no Fonte Nova, outro filme português com a Beatriz Batarda. No final de um dia de trabalho, a caminho de casa, estaciono no parque natural, ainda selvagem, em frente ao Fonte Nova, e vou ao cinema. NOITE ESCURA, de João Canijo. Um filme forte, denso e belo, como pouco se filma em português.
Na sessão das 19:00 h. fui o único espectador. Isso mesmo. Estava sozinho na sala. Sozinho na sala. É esta a minha noção de home cinema.

6 Comments:

Blogger Ricardo said...

O filme de facto nem parece portugu~es apesar de ainda ter alguns tiques do nosso cinema. Sinceramente gostei...

Se quiseres ler a minha crítica ao filme:
http://filhodo25deabril.blogspot.com/2004/11/228-sala-de-cinema-noite-escura-de-joo.html

20 de novembro de 2004 às 12:47  
Blogger filipe said...

Carlos, porque é que sempre que se elogia um filme portugues se tem que falar em excepçao?
Num pais onde se fazem 9 filmes por ano temos Oliveira, Rocha, Botelho, Costa, Grilo, Vilaverde, Canijo, ect. Temos dificuldades e vicios e problemas? Sim, imensos. E estes realizadores tambem fazem filmes maus, claro. Mas olha, aqui em Italia fazem-se 90 filmes por ano e, com a excepçao de Moretti, é quase tudo uma "noia".

20 de novembro de 2004 às 20:30  
Blogger marvin said...

Não sei, Filipe. Eu não falei em excepção.

21 de novembro de 2004 às 19:16  
Blogger filipe said...

"Um filme forte, denso e belo, como pouco se filma em português."

Carlos, da ultima vez que comentei aqui puseste nas minhas palavras comparaçoes que nelas nao existiam(nem podiam existir) pelo que a conversa acabou pela minha parte. Agora, se nao esta implicita aqui uma ideia de excepçao, entao nao devemos escrever na mesma lingua(no mesmo teclado nao escrevemos decerto, que o meu nao tem acentos:)).

21 de novembro de 2004 às 20:08  
Blogger marvin said...

Caro Filipe,
usando uma linguagem comum a ambos, direi que NOITE ESCURA é um filme "bom". Aliás, muito bom, excelente.
E se pouco filmes se fazem com a densidade de NOITE ESCURA, isso não significa que não sejam igualmente "bons". São. Concordo contigo que, em geral, os filmes portugueses são bons. O que não quer dizer que usaria os mesmos adjectivos para os classificar.
Um exemplo: OS IMORTAIS é um "bom" filme, de que gostei muito. Bons actores, excelentes décors, uma rigorosa direccção, um argumento consistente, etc. Mas não diria que é um «filme forte, denso e belo». Diria outra coisa, com outros adjectivos rápidos e vagos, mas igualmente elogiosos.
De resto, mantenho a apreciação apressada que fiz. Não há muitos filmes portugueses como NOITE ESCURA.

21 de novembro de 2004 às 20:35  
Blogger O Mirandês said...

Esse parque selvagem ainda há-de dar muito que falar.

22 de novembro de 2004 às 16:58  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger

www.website-hit-counters.com