26 de junho de 2004

carta enviada hoje a Jorge Sampaio

Senhor Presidente,
Eu não gostava que o meu país tivesse mais um Governo de que desconheço o Programa, com um primeiro-ministro não eleito, ao arrepio das mais elementares regras democráticas.
V. Exa. tem agora mais uma oportunidade de mostrar que o seu cargo tem uma utilidade real e não apenas simbólica ou decorativa.
Na verdade, vejo-o mais depressa ao lado da selecção nacional de futebol a dizer clichés do que a tomar alguma decisão política importante, algo para o qual foi eleito. Creio também que, até agora, em todos estes anos no exercício das sua funções, se estivesse no seu lugar o engº Ferreira do Amaral, não teria havido grande diferença. Mas ainda tenho alguma esperança.
Obrigado e boa decisão.
Carlos Cunha

É possível fazer o mesmo aqui.

7 Comments:

Blogger PMG said...

Proponho desde já um abaixo-assinado que exorte sua excelência a nomear Scolari Primeiro Ministro

26 de junho de 2004 às 15:09  
Anonymous Anónimo said...

http://barnabe.weblog.com.pt/

Citando o Blog Barnabé…

Todos a Belém no domingo às 19 horas contra santana lopes primeiro-ministro! Abaixo um governo da treta! Envia este sms a toda a gente já!.
Governo Para a rua já!...
A democracia Portuguesa não é negociada em Bruxelas!...
Que o presidente Sampaio tenha a coragem de tirar consequênicas!...
Esta não é uma República das Bananas!...
Eleições já!...

26 de junho de 2004 às 18:27  
Blogger rui said...

Carlos, o PM não é eleito, mas também não me agrada o santana a governar isto

26 de junho de 2004 às 23:48  
Blogger Miguel Cardina said...

Eleições antecipadas já! (como dizia o outro: nós estamos com Sampaio. Estará Sampaio connosco?)

27 de junho de 2004 às 02:59  
Anonymous Anónimo said...

Ainda estou para perceber qual a justificação constitucional para convocar eleições antecipadas ...
AR

28 de junho de 2004 às 12:19  
Blogger marvin said...

Sim, Rui, em bom rigor o PM não é eleito. Escrevi assim para simplificar. Quem é eleito são os deputados, de cuja assembleia sai a aprovação do Programa do Governo que, em regra, é chefiado pelo líder do partido mais votado. Pelo menos é ele que o PR convida a formar Governo.
Ora, neste caso, o que se prepara é uma inversão deste princípio: depois de umas eleições que castigaram os partidos da maioria, um partido tenta escolher um chefe de Governo (e, em consequência, toda a sua composição) que não pertence ao governo actual, cujo Programa se desconhece (e que, em regra, vai a votos aquando das legislativas), que é adversário interno do PM fugitivo, tudo isto tratado como se fosse uma questão interna do PSD.
O que está em causa, seja escolhido o Santana ou outro militante que não pertença ao actual Governo, é a clara falta de legitimidade política (ainda que tenha legal e contitucional) para formar novo Governo.

AR,
se leres o artº 195º da CRP encontras a "justificação constitucional" que procuras.

28 de junho de 2004 às 19:12  
Blogger pepper said...

olá vizinho português,
assim como você temos um governo de atitudes que o inspiram o mais alto grau de charlatanismo.
Digo porque também enviei esses dia uma mensagem à Ex.ma Lula,e até nem resposta...
Assum é, grandes e fantásticos textos os seus.
Abraços

26 de maio de 2010 às 02:10  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger

www.website-hit-counters.com