14 de maio de 2004

parafilias

Não sou muito entendido em parafilias. Aliás, nem de sexo (versão straight e tradicional) percebo grande coisa. Sou mesmo pouco entusiasta e ainda menos praticante. A repetição monótona dos mesmos gestos e movimentos, o esforço físico inerente à coisa, as secreções, a transpiração, o arfar incontrolado, os olhos semi-cerrados da parceira, os gemidos, os gritinhos - tudo isso me parece bastante aborrecido.
Claro que tenho que fingir que gosto, dizer piadas parvas sobre o assunto em conversas de amigos, disfarçar o tédio com as ideias pretensamente rebeldes sobre a triste vida sexual do meu interlocutor, e ocultar a surpresa de verificar que, verdadeiramente, ninguém se interessa sobre o assunto, embora poucos o saibam. Eu até me interesso, mas apenas sob o ponto de vida científico, da análise biológica, psicológica e sociológica da questão. Nada mais.
De facto, intriga-me a diversidade de modalidades em que se manifesta o desejo, a excitação sexual e o próprio orgasmo. Isto é, a infinita variedade de elementos erógenos com que cada indivíduo se satisfaz e que compõe cada pétala do ramalhete: desde o sadomasoquismo até à necrofilia, passando pelo transvestismo, o voyeurismo, o exibicionismo, a pedofilia, a zoofilia, o fetichismo e pelas mais estranhas taras: a acromotofilia (ou apotemnofilia), a agalmatofilia, a andromimetofilia, a asfixiofilia, a autonepiofilia (esta é muito engraçada), a clismafilia, a estigmatofilia (tão em moda), o froterismo (ocupa o 4º lugar na lista de incidência de pacientes em tratamento - basta andar de metro para ver os seus adeptos), a gerontofilia, a hifefilia, a misofilia, a normofilia (comum na "juventude" do PP), a simforofilia (viram o Crash, do Cronenbergh?) e o toucherismo. Faltam muitas mais, mas são as que se me ocorrem agora e para um post é mais que suficiente.
Dentro destas, o fetichismo leva a palma. Contém em si uma variedade de objectos (ou partes do corpo) potencialmente desencadeadores da excitação sexual: cuequinhas, meias, sapatos, roupa de couro, etc.
O que não percebo mesmo é a atracção por antenas de rádio para automóveis. Já me roubaram três este ano! Já chega! Pervertidos do #"$%"#%&!

16 Comments:

Blogger Alcabrozes said...

**

17 de maio de 2004 às 17:28  
Blogger o net pulha said...

Mais uma vez muito bom!
Desta vez não fui só eu a rir, a Sofia Pulha fartou-se de rir, também!

18 de maio de 2004 às 00:03  
Blogger MF said...

Sabes lá o jeito que dá uma boa antena!!!

18 de maio de 2004 às 11:46  
Blogger Vaca Louca said...

Caramba! Antenas? Essa não conhecia :)

18 de maio de 2004 às 12:21  
Blogger marvi said...

Excelente!
Por mim, garanto assiduidade nas visitas.

18 de maio de 2004 às 22:50  
Anonymous Anónimo said...

Estou totalmente de acordo consigo, também não gosto de discutir determinados temas relacionados com sexo; para mim o sexo deve ser fundamentalmente higiénico e não contribuir para a propagação de doenças sexualmente transmissíveis; é isso o amor: sexo higiénico.

jmcruz (pessoalmente)
doi-me.blogspot.com

18 de maio de 2004 às 23:29  
Blogger vieira do mar said...

Pouco entusiasta? Menos praticante? Repetição "monótona" ? Coitadinho... Lamento-o, acredite.

19 de maio de 2004 às 03:26  
Blogger Tiago said...

Uma nova casa... e com um nome bem escolhido... parabêns!

19 de maio de 2004 às 10:08  
Blogger Miguel Marujo said...

Bem-vindo, Carlos! Tinha saudades de te ler, e (erro meu, má fortuna minha) só hoje, com a nossa Terra, te descubro!

19 de maio de 2004 às 10:31  
Blogger Tiago said...

As antenas dos carros, sobretudoaquelas que são mais ou menos fléxivéis, dão um excelente chicote. Basta esgrimir uma com força contra o ar para se ouvir aquele "SSWooooouuuuushhhhhhh" tão caracterísitco.

Quem rouba as antenas não são malfeitores ou vandâlos, nem mesmo gangs, ou drÓgados que trocam 100 antenas por uma dose, não. São sado-masoquistas envergonhados que não querem ser vistos a entrar na sex-shop ou se sentem acanhados de pedir ao balcão um chicote!

20 de maio de 2004 às 01:20  
Anonymous Anónimo said...

A originalidade deste post "foi" fantástica quinta-feira,Abril 29, 2004. Hoje peca pela repetição.Ficou uma pergunta, sofre de um problema de assexualidade,o que em biologia, significa, caracteríistica dos organismos desprovidos de caracteres e funções sexuais?

21 de maio de 2004 às 10:43  
Blogger marvin said...

É isso mesmo, Anonymous. Sou um ser assexuado. So what?

21 de maio de 2004 às 11:08  
Anonymous Anónimo said...

É caracteristica de espécie humana a associação procriadora básica,essencial à preservação da espécie,a todo um componente afectivo e psicológico no sentido mais lato.A sexualidade humana é assim resultado da interacção de componentes biológicos,culturais, educativos e sociais.
As disfunções sexuais podem significar problemas biológicos,psicológicos ou uma combinação de ambos, e podem definir-se como a incapacidade de ter relações sexuais ou de obter prazer nelas.

21 de maio de 2004 às 12:35  
Blogger marvin said...

Sim, eu sei.

21 de maio de 2004 às 12:42  
Blogger Marta said...

E enquanto forem só antenas não está tudo perdido...
Pior é quando te partem o vidro traseiro do carro e te roubam o auto-rádio, com o cd lá dentro, em pleno dia... E o pior é que já é a 5ª vez que o fazem!
Uns coleccionam antenas, outros auto-rádios...

23 de maio de 2004 às 05:08  
Anonymous Anónimo said...

ainda há pior, marta.

23 de maio de 2004 às 21:40  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger

www.website-hit-counters.com