28 de maio de 2004

o resto da minha vida

Diz o meu amigo AR, a propósito de um contrato qualquer que tem de outorgar nesse dia, que o próximo dia 22 de Junho é o «primeiro dia do resto da vida» dele.
Ora, todos os dias pertencem ao resto da minha vida. A expressão evoca-me mesmo a tristeza de quem já antevê o final dos seus dias sobre a terra (como eu, que certamente já vivi mais de metade dos dias que me couberam em sorte) e os conta desesperadamente, como se quisesse parar o tempo (o que não é o meu caso).
Pois é, AR. Hoje é dia 28 de Maio de 2004. O único dia 28 de Maio de 2004 que vamos viver em toda a nossa vida. Não há mais. Acabou-se. Puf!

5 Comments:

Blogger PMG said...

"...no fundo do tempo cresce o futuro, é tarde demais."

28 de maio de 2004 às 20:53  
Blogger citras said...

"A que se reduz, afinal, a vida? A um momento de ternura e nada mais"

31 de maio de 2004 às 12:46  
Blogger MF said...

E para quê mais dias 28 de Maio de 2004? Podemos ter o 29, o 30, o 31... Porque a vida não se reduz, vive-se, ampliada pela nossa percepção da felicidade.

31 de maio de 2004 às 14:56  
Blogger Sofia said...

Nunca pensei estar para aqui a citar esse obra de exposição das nádegas do Brad pitt "Troia", mas lá no meio, meio escondido, uma frase que me impressionou, e que de certo forma fez sentido e se relaciona com as melancólicas constatações aqui proferidas. Dizia Aquiles (por sinal louríssimo e com um beicinho de fazer cair para o lado) que ainda bem que não somos Deuses mas meros Mortais porque Eles não podem experimentar na pele a finitude. O dia de hoje, o que temos, não se vai repetir. Cada dia é um fim. Não se repete, em circunstâncias, em pessoas. Por isso, de certa forma, ainda bem pelo dia 28.

1 de junho de 2004 às 17:41  
Anonymous Anónimo said...

Recordar é viver...Há dias, sempre, memoráveis.....

4 de junho de 2004 às 02:56  

Enviar um comentário

<< Home

Powered by Blogger

www.website-hit-counters.com